Porque é difícil para as marcas locais engajar o público no Twitter?

O Marketing Digital para negócios deixou de ser uma opção e passou a ser a opção estratégica, prova disso é o aumento diário de marcas no ambiente digital e gestores das plataformas apostando tudo que sabem e não sabe para se conectar com seu público. Uma das plataformas mais difíceis de as marcas conseguirem se manter e engajar é o Twitter. Pela sua estrutura e tipo de público que lá está.

Diferente do Facebook onde depois de activar a conta o utilizador (Futuro Fã/Like) conecta-se logo com seus familiares e animais facilitando a vida das marcas para lhe encontrar e vender-lhe qualquer coisa no Twitter a história é outra começando pelo processo de abertura de conta que segue a seguinte lógica:

  • Você abre a conta no Twitter sem entender tenta usar e desiste.
  • Você volta e tenta entender e pensa que é igual ao Facebook e desiste.
  • Depois de muito tempo entra para o Twitter e como quem não quer nada faz Tweets sem compromisso e logo está lá viciado e feliz.

Este processo acima explica um pouco porque as marcas têm dificuldades em engajar o público do Twitter, a razão é que o ADN do Twitter é cada um está lá por conta própria, os pensamentos não são empacotados e se tem 140 caracteres para deixar um pensamento brilhante. Tweets (Posts do Twitter) são uma espécie de ideias sem sequência ou lógica, mas, com grande nível de sinceridade, persuasão e captação de atenção e é aqui onde as marcas morrem, pois, o discurso delas é muito previsível, defensivo e muito TOP-DOWN e baseado na lógica:

  • Marca: Faz um Post
  • Fã: Dá um Like
  • Marca: Fica feliz e responde ao cliente com: Obrigado pelo Like ou em que podemos ajudar
  • Fã: Fica feliz e espera pelo próximo Post

No Twitter não é bem assim e isso faz com que os utilizadores desta rede sejam mais intolerantes ao discurso das marcas pois elas não agem como pessoas, mas, sim como marcas que só querem vender e comprar likes.

Um exemplo do quão o Twitter é descolado é que até irmãos ou parceiros tratam-se como desconhecidos, pois, cada um mostra a sua forma de pensar independentemente do grau de relacionamento, isso torna o público mais rico, mais ciente e mais sincero. É isto que as marcas precisam fazer para engajar no Twitter, começar a partilhar seus pensamentos, filosofias e respeitar o pensamento de qualquer utilizador que está no seu círculo e não querer apropriar-se de nenhuma pessoa ou grupo dentro dessa rede.